MANT no Brasil

O

s primeiros passos da igreja foram em 1986, quando o apóstolo Bené Silva iniciou sua caminhada para erguer uma igreja na cidade de Paraíso do Tocantins, no norte de Goiás. Após ser ordenado pastor ele entendeu que aquela obra não se limitaria a igreja local, mas teria grande alcance naquela região.

Mais tarde acontece a criação do Estado do Tocantins, em 1989. Lá ele, juntamente com a esposa Vera Lúcia e os filhos, viu aquela capital se erguer. Tempos depois, debaixo de jejuns, orações e palavras proféticas, começariam as ações para erguer a sede da igreja na cidade de Palmas.

Em 1996 em uma reunião ministerial da região de Pires do Rio foi colocada a necessidade de se ter um ministério estruturado. A partir de então as Igrejas de Cristo que estavam ali reunidas tornaram passam a se chamar Igreja de Cristo Ministério Nova Terra. Surgiram novas igrejas debaixo dessa cobertura, atingindo outros estados da federação. Em 1999 o ministério abraçou a visão celular.

Ministério apostólico - Desde 2009 a igreja passou a ser definida como Igreja de Cristo Ministério Apostólico Nova Terra. “Nós entendemos em Efésios 4:11 que Deus concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres – cinco ministérios. Deus está fazendo isto no Brasil e está derramando isso na Sua Igreja. Então nós somos um ministério apostólico e ministério onde estamos sedentos para receber os cinco ministérios do Senhor”, explica o apóstolo Bené Silva. Seguindo esta visão o propósito do ministério é alcançar todos os Estados do Brasil e exterior para Cristo.

NOSSOS LÍDERES

“Vale a pena servir a Deus. Enquanto adolescente tinha tudo para ser um fracassado, mas o Senhor foi fiel em tudo. Um dia ao encontrar com Jesus quero mostrar a ele muitos frutos: está aqui Senhor, meu depósito!”
(Ap. Bené Silva)

“Em Paraíso, às vezes saía da igreja chorando. Mas, no dia em que falei ao Senhor que trabalharia para Ele decidi abrir mão de tudo e sempre fiz com alegria. Entrei no ministério para não voltar, nunca olhei para trás e creio que seremos mil vezes mais do que somos hoje”.
(Ap. Vera Lúcia)